Curso de Blues no Teclado Aprenda a tocar Blues no Teclado, sem sair de casa, no horário que desejar.

Ebook Grátis Teclado Para você dar os seus primeiros passos nas teclas.

Workshop de Composição - Aula 3 - A Harmonia

A função da harmonia na composição é de compor o ambiente sonoro em que será inserido a sua canção. Podemos compor a canção criando uma sequência de acordes e depois criando uma melodia ou inserindo os acordes em uma melodia já criada.

 

CAMPO HARMÔNICO MAIOR

Como já vimos em outras aulas tudo o que é formado tem uma relação direta com a escala, o campo harmônico não é diferente.

Para formarmos um campo harmônico maior, precisamos primeiramente montar a escala maior, tendo as notas da escala aplicamos a seguinte fórmula:

I IIm IIIm IV V7 VIm VIIº

Pegamos as notas da escala e aplicamos a fórmula, no caso da escala de sol os acordes serão:

G Am Bm C D7 Em F#º

Aqui usamos apenas acordes de tríades, acordes de 3 notas.

Mas o ideal é aprendermos o campo harmônico com acordes de tétrades, acordes com 4 ou mais notas, nesse caso a fórmula é a mesma apenas acrescentamos algumas notas aos acordes e a fórmula ficaria:

IM IIm7 IIIm7 IVM V7 VIm7 VIIm7(b5)

Na escala de sol os acordes seriam:

G7M Am7 Bm7 C7M D7 Em7 F#m7(b5)

Mas para que serve um campo harmônico maior afinal?

O campo harmônico nos mostra quais os acordes tem uma relação com a escala, portanto, com a tonalidade. Numa tonalidade de G o acorde de G pertence à escala e o acorde de Gm não pertence.

Vamos imaginar que eu precise colocar acordes numa música, vou usar como exemplo a música “atirei o pau no gato”

G

Atirei o pau no gato to

Am D7               G

Mas o gato to, não morreu reu reu

C                        G

Dona Chica ca admirou-se se

Am          D7                       G

Do berro do berro que o gato deu

 

CAMPO HARMÔNICO MENOR

Na aula passada falamos sobre campo harmônico maior, nessa aula vamos aprender o campo harmônico menor.

Para formarmos um campo harmônico menor, precisamos primeiramente montar a escala menor, tendo as notas da escala aplicamos a seguinte fórmula:

Im bIIº III IVm Vm bVI bVII7

Pegamos as notas da escala e aplicamos a fórmula, no caso da escala de sol menor os acordes serão:

Gm Aº Bb Cm Dm Eb F7

Aqui usamos apenas acordes de tríades, acordes de 3 notas.

Mas o ideal é aprendermos o campo harmônico com acordes de tétrades, acordes com 4 ou mais notas, nesse caso a fórmula é a mesma apenas acrescentamos algumas notas aos acordes e a fórmula ficaria:

Im7 IIm7(b5) bIII7M IVm7 Vm7 bVI7M bVII7

Na escala de sol menor os acordes seriam:

Gm7 Am7(b5) Bb7M Cm7 Dm7 Eb7M F7

Da mesma forma que o campo harmônico maior, saber o campo harmônico menor vai me fazer perceber quais os acordes podem ser usados em uma canção de tonalidade menor.

Vamos imaginar que eu precise colocar acordes na música, “nesta rua nesta rua”

Gm                                     Dm

Se essa rua, se essa rua fosse minha

Gm

Eu mandava, eu mandava ladrilhar

Cm

Com pedrinhas, com pedrinhas de brilhantes

Dm                                       Gm

Para o meu, para o meu amor passar

 

HARMONIA FUNCIONAL

Harmonia funcional é o estudo das sensações (emoções) que determinados acordes transmitem para o ouvinte. Esse conceito ficará mais claro quando mostrarmos os exemplos. Primeiramente, saiba que as três principais funções harmônicas são as seguintes:

Função tônica: transmite uma sensação de repouso, estabilidade e finalização. Promove a ideia de conclusão.

Função dominante: transmite uma sensação de instabilidade e tensão. Promove a ideia de preparação para a tônica.

Função subdominante: é o meio termo entre as duas funções anteriores. Gerando uma sensação de distanciamento.

Para entender melhor o que estamos falando, experimente tocar repetidamente os seguintes acordes, na ordem em que eles aparecem:

| C | F | G7 |

Ao tocar lentamente essa sequência, note como o acorde G7 transmite uma sensação de “preparação” para retornar ao C. Esse som de instabilidade é característico da função dominante.

Ao retornar para o acorde C, há uma sensação de “alívio”, “resolução” e estabilidade. Isso é característico da função tônica. Já o acorde F nesse contexto representou um distanciamento. Isso caracteriza a função subdominante.

MÚSICA COM CENTRO TONAL

Utiliza o campo harmônico e as funções harmônicas dos acordes.
Campo harmônico é um conjunto de acordes formados a partir de uma determinada escala. Exemplo: Stand by me – Ben King

TRANSPOSIÇÃO OU MODULAÇÃO PARA OUTRA TONALIDADE

Transposição (ou modulação) significa mudança de tonalidade.

As modulações podem ser curtas, ou seja, duram pouco tempo e logo já retornam à tonalidade original.

Exemplo: O Que é o que é - Gonzaguinha

Também podem se estender por muito tempo, mudando definitivamente a tonalidade da música.

Quando a música modula e não volta mais  à  sua  tonalidade  inicial,  dizemos  que  houve uma transposição.

Exemplo: Sinônimos – Chitãozinho e Chororó

EMPRÉSTIMO MODAL

Como o próprio nome diz, Acorde de Empréstimo Modal (AEM) é um acorde emprestado de outro modo. Esse modo pode ser um modo grego ou o modo homônimo.

Exemplo: Linger - Cranberrie

MÚSICA MODAL

Basicamente são canções que utilizam qualquer um dos 7 modos gregos, sem uma preocupação com a resolução dos acordes dominantes.

Exemplo: Baião – Luiz Gonzaga Exemplo: Tune – up – Miles Davis

 

Sobre nós:

A Primeiros Acordes tem como objetivo ensinar você a aprender a tocar no conforto de sua casa, com aulas, cursos, vídeo-aulas, métodos voltados para o aprendizado online.

Contato

Primeiros Acordes

Email: marcos.dupra@globo.com

Horário: 9:00 ás 18:00 hs

Não temos loja física